×

Encontre corretores de seguros em qualquer lugar do Brasil!

Utilize o campo abaixo para escolher o estado que você mora e localizar um corretor de seguros perto de você.

Segurança nunca é demais: Por que fazer um seguro viagem

Nesse artigo você vai ter acesso às respostas para as perguntas mais frequentes sobre o seguro e a assistência para viagem. Também conhecerá preços básicos, critérios de valor do serviço, modalidades de cobertura, tempo de contratação recomendado, vantagens de cada tipo de seguro, importância de se contratar um e diferentes serviços que ele pode cobrir.

Seguro viagem: Por que fazer?
Motivos para fazer um seguro viagem

O espectro coberto vai desde um atendimento no dentista, passando por hospitalização, até casos extremos, como os de indenização por morte ou repatriação de corpo.

Esse parece um tema pesado para quem organiza uma viagem, momento geralmente tomado por boas expectativas. Essa alegria é maravilhosa, mas o mercado de seguros tem suas razões de ser. Aqui, você vai entender algumas delas e por que “o seguro morreu de velho”.

Por que fazer um seguro viagem?

Normalmente, nós só pensamos em coisas positivas quando vamos viajar, seja a passeio ou a trabalho. Isso é muito bom, porque o pensamento positivo move o mundo. Por outro lado, até para evitar preocupações exageradas, é importante se prevenir com um seguro viagem. Afinal, acidentes acontecem e nunca sabemos quando vamos nos envolver em um, obviamente. Com essa medida de prevenção importante, podemos aproveitar melhor cada momento nos lugares para onde viajamos.

O seguro é muito usado em viagens internacionais. Como a maior parte dos planos de saúde privados não cobre despesas no exterior, ele funciona como uma espécie de plano de saúde temporário que pode ser acionado durante a viagem.

O seguro também é relevante caso você resolva fazer uma viagem dentro do Brasil, mas não tenha um plano de saúde com cobertura nacional.

De modo geral, o seguro é uma forma de garantir que você e sua família vão receber atendimento médico emergencial caso precisem desse tipo de serviço numa viagem. Sem falar que a contratação desse serviço é obrigatória para entrar em muitos países.

Quanto custa um seguro viagem?

pague-o-seguro-a-vista-e-tenha-desconto
Quanto custa o seguro viagem?

 

Além da garantia de proteção, o seguro viagem pode ser muito vantajoso do ponto de vista econômico. Geralmente, uma cobertura de duas semanas custa por volta de 250 reais. Esse preço é maior nos planos com cobertura mais ampla, que são exigidos dos viajantes que realizam atividades específicas e perigosas, como esportistas radicais. O custo também pode variar de acordo com a idade e as condições prévias de saúde do contratante. Seguros mais abrangentes podem De todo modo, pense que, caso você precise de um médico ou dentista nos Estados Unidos, por exemplo, um atendimento urgente não custará menos do que 300 dólares. Esse tipo de serviço pode ser ainda mais caro em boa parte da Europa, com a despesa em euro.

O preço médio de uma diária de seguro internacional é R$ 12,00. Esse valor equivale à cobertura mínima de 30 mil euros exigida pela comunidade europeia. Quando maior o preço da diária, maior será a cobertura contratada.

ATENÇÃO! Para evitar surpresas indesejáveis, fique atento aos valores das moedas para as quais pretende converter seu dinheiro. Esse cálculo também é relevante na hora de definir a contratação do seguro.

Como contratar um seguro viagem?

Você pode contratar o seguro nas operadoras de viagem, no seu banco, no cartão de crédito ou em empresas especializadas do setor. Muitas vezes, a própria companhia aérea que lhe vendeu suas passagens oferece planos de seguro ou assistência viagem. Na hora de tomar essa decisão, você pode comparar as vantagens oferecidas por cada um desses agentes do mercado de seguros. Por exemplo, muitas bandeiras de cartões de crédito oferecem opções vantajosas aos usuários clientes das suas categorias mais altas. Muitas vezes, isso inclui descontos em seguros de viagem. Agências de viagem podem oferecer o mesmo tipo de vantagem. Tudo depende da relação eu você estabelece com o prestador do serviço.

Qual a diferença entre o seguro viagem e a assistência viagem?

Há uma diferença básica. O seguro viagem funciona por meio de reembolso. Ou seja, se precisar de um serviço médico na viagem, você vai pagar por ele e depois, com o comprovante da despesa, solicitar que o seguro lhe pague o valor correspondente no prazo determinado em contrato. Nessa modalidade de cobertura, você tem a vantagem de escolher onde buscar atendimento.

A assistência viagem, por sua vez, cobre na hora todas as despesas com os serviços previstos no contrato. Em caso de necessidade, a seguradora já vai lhe encaminhar para atendimento em hospitais e clínicas associados ao plano. Se, por um lado, você não escolhe onde vai ser atendido, por outro, tem a vantagem de não desembolsar nenhum dinheiro. Esse encaminhamento não é obrigatório em casos excepcionais, como os de emergência.

Algumas seguradoras oferecem pacotes com as duas modalidades de cobertura disponíveis. A vantagem dessa opção é que o segurado pode escolher a mais adequada para resolver um problema surgido na viagem, avaliando qual delas lhe atende melhor na situação específica.

O destino interfere na escolha do seguro?

Totalmente. Países têm regras diferentes para seguros. Os países da União Europeia, por exemplo, exigem seguro de viagem especial, conforme definido no Tratado de Schengen, com a cobertura mínima de 30 mil euros já citada. Caso você use o cartão de crédito para contratar um seguro, exija informações específicas sobre o país de destino e detalhes do contrato.

O que são seguros especiais?

Os seguros especiais são usados para proteger objetos de valor que você costuma levar em viagens, como câmeras, celulares, computadores e outros dispositivos valiosos, que podem ser perdidos ou até roubados. Nunca se sabe. Normalmente, essa cobertura específica pode ser acrescentada ao pacote escolhido pagando a diferença correspondente ao preço adicional.

Como escolher a seguradora?

Como escolher um seguro viagem?
Como escolher um seguro viagem?

Recomendamos que não utilize apenas o critério do menor preço nessa escolha. Isso geralmente custa caro quando o contratante precisa acionar o seguro e descobre que o plano escolhido não atende sua necessidade específica, em plena viagem ao exterior. Nesse caso, uma boa escolha é contratar uma seguradora bem estabelecida no mercado, com histórico conhecido e reputação confiável. Outro caminho é consultar a opinião de amigos que costumam viajar. Se você já tem um agente de viagem de confiança, ele também pode lhe oferecer boas indicações. O importante é lembrar que é a sua saúde que está em jogo. Nessas horas, o barato pode sair muito caro no final.

Por quanto tempo devo contratar o seguro viagem?

É importante contratar o seguro de modo a iniciar a viagem já coberto, portanto, basta fazer isso um dia antes do início dela. E, para garantir uma cobertura também para imprevistos que acabem por atrasar a volta, contrate um período que exceda em dois dias o tempo previsto da viagem. Esse tipo de precaução costuma fazer a diferença nos casos em que voos atrasam e os viajantes precisam ficar hospedados mais tempo em determinados lugares.

Qual é a cobertura do seguro viagem?

A cobertura varia conforme o nível do serviço contratado. O básico cobre emergências médicas. Outros já cobrem, além de atendimento médico, extravio de bagagens ou até repatriação de corpo em caso de morte, com direito à indenização. Portanto, o tamanho da cobertura está diretamente ligado ao preço dela.

No momento da contratação, você deve informar o tipo de viagem que pretende fazer. Assim, a seguradora vai lhe oferecer um seguro com cobertura adequada às especificidades do seu caso. Aqui vale citar de novo o exemplo dos esportistas radicais que, pela própria natureza das suas atividades, estão sujeito a riscos maiores do que o turista numa viagem tradicional.

Exemplos de serviços cobertos:

  • Atendimento médico ou odontológico a qualquer momento.
  • Seguro no caso de interrupção ou cancelamento da viagem.
  • Visita à pessoa assegurada que precisa de hospitalização. Esse item costuma cobrir despesas com passagens internacionais e hospedagem do visitante.
  • Despesas farmacêuticas.
  • Hospedagem após a alta hospitalar. Serviço importante nos casos em que o viajante fica impossibilidade de viajar de volta ao país de origem após uma cirurgia complexa, por exemplo.
  • Remarcação da passagem de volta.
  • Repatriação médica. Há casos em que o paciente chega a precisar de unidade de terapia intensiva (UTI) aérea para voltar ao país de origem. Sem a cobertura do seguro, esse tipo de serviço pode custar uma pequena fortuna.
  • Indenização em caso de morte.
  • Indenização em caso de invalidez.
  • Localização de bagagem extraviada.
  • Indenização em caso de perda definitiva da bagagem.
  • Despesas jurídicas.
  • Pagamento antecipado de fiança em caso de prisão.

Importante

Tenha sempre consigo o comprovante impresso do seu seguro viagem. Você pode até manter uma versão digital dele, mas o documento nas mãos é sempre mais efetivo em situações difíceis. Isso vale também para o contrato do seguro. Tenha sempre uma cópia dele.

Telefone do seguro

Dica importante sobre seu seguro viagem

O telefone que deve ser acionado para usar o seguro é outra informação importantíssima que você deve ter anotada em papel e salva em arquivos digitais. É por meio desse número que você vai entrar em contato com a seguradora e receber instruções sobre como proceder em determinada circunstância. Geralmente, com a exceção de países que recebem poucos turistas, o viajante brasileiro é atendido em português. Em último caso, esse atendimento pode ser oferecido em inglês.

O seguro viagem em tempos de pandemia

É importante que você saiba que a maioria dos seguros de viagem limitou a cobertura da pandemia do novo coronavírus ao teste usado para diagnosticar a Covid-19. Ou seja, na maior parte dos casos, caso o viajante entre em contato com o vírus no exterior e precise de hospitalização, o seguro não vai cobrir as despesas com o tratamento que excederem o custo do diagnóstico. A mesma posição tem sido majoritária em casos de surtos, epidemias ou pandemias de outras doenças. Por isso, ao contratar um seguro, faça contato com a seguradora e exija esclarecimentos detalhados sobre a cobertura que ela oferece nesse tipo de situação excepcional.

Vale a pena contratar um seguro de viagem em caso de pandemia?

Vale. Mesmo que a maioria dos seguros não cubra doenças que ganham proporções pandêmicas, você precisa lembrar que está sujeito a outros eventos fortuitos numa viagem, como acidentes ou enfermidades que não necessariamente estão relacionadas com uma pandemia. Portanto, numa viagem internacional, o seguro é muito importante. Além disso, para entrar em muitos países, esse tipo de seguro é indispensável.

Posso cancelar a contratação do seguro caso desista da viagem por causa de uma pandemia?

Cada seguradora tem suas regras para disciplinar o cancelamento de contratações. Esse é o tipo de informação que você deve conferir cuidadosamente ao contratar um seguro. Em todo caso, se o mundo enfrenta uma pandemia e você ainda não iniciou sua viagem, entre em contato diretamente com a operadora do seu seguro o mais rápido possível e negocie as condições do cancelamento.

E se tiver algum problema com a seguradora?

No Brasil, o setor é regulado pela Superintendência de Seguros Privados – SUSEP. Já as normas que regulamentam a atividade são fixadas pelo Conselho Nacional de Seguros Privados, o CNSP.

No entanto, o melhor caminho para resolver um problema é com a própria seguradora, pelos canais de atendimento dela. Em caso de viagem ao exterior, é importante deixar cópias de todos os seus documentos com alguém da família no Brasil, inclusive com procuração para acionar a Justiça, caso a seguradora se recuse a cumprir uma obrigação contratual, por exemplo.

Guarde todos os documentos

Guardar todos os documentos e comprovantes de despesa é fundamental para que você possa exigir seu direito de reembolso, ou ingressar com ação judicial contra a seguradora que se recusar a ressarcir despesas que deveriam ser cobertas pelo plano contratado, mas não foram.

E para concluir…

Para concluir, ninguém deseja precisar de um atendimento médico emergencial, muito menos no exterior, mas, mesmo nos momentos mais felizes, a vida pode pregar peças. Nesses casos, é bom estar preparado para os imprevistos.

Nunca vai ser bom usar um seguro, porque isso significa que alguma coisa ruim aconteceu. Porém, o seguro viagem vai fazer a diferença justamente no momento em que você mais precisar dele.

Além disso, como já foi dito, essa é uma maneira de se precaver para curtir uma viagem sem se preocupar exageradamente com todos os detalhes dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *